O que a família pode fazer após identificar um dependente
25 de maio de 2018
Como ajudar dependentes químicos?
2 de julho de 2018

Adolescentes e as drogas

Drogas: como lidar com esse assunto com os adolescentes?

A curiosidade é algo inerente aos adolescentes, por isso eles começam apenas
tomando um copo de bebida alcoólica e experimentando um cigarro, pois o que eles
querem é curtir essa sensação que os amigos descrevem como super legal!

Um estudo realizado pelo Portal Educacional aponta que 75% dos adolescentes com
15 anos de idade que foram entrevistados já tomaram pelo menos uma vez na vida
bebida alcoólica. Dos 75%, 31% deles já beberam mais do que deveriam.

Curiosidade sobre drogas precisa ser abordada pelos pais em casa

É fundamental que os pais ajudem os filhos que já estão no mundo das drogas e
tentem ao máximo evitar que aqueles que ainda não estão, não andem nele. O uso de
drogas na adolescência pode ser mais comum, porque ele quer viver novas
experiências motivado pela curiosidade, já dita acima.

No começo, eles provam algumas drogas mais fracas, porém o que eles querem é
experimentar aqueles que trazem efeitos ainda maiores e, por isso, optam pelas mais
pesadas. Dados apontam que de 10 adolescentes que já provaram entorpecentes, 1
deles acabou se tornando um dependente químico.

Pais precisam dar exemplos para os filhos

Para que os pais lidem de forma eficaz com essa temática, primeiramente, eles
precisam dar o exemplo! Sendo assim, nada de estimular o filho a beber ou a
experimentar drogas com os pais ou sem eles. É função do pai e da mãe dizer que o
consumo desses entorpecentes é prejudicial a saúde e ele não deve desenvolver esse
hábito.

Alguns podem achar que como o álcool é uma droga lícita não tem problema! No
entanto, o adolescente quando começar a beber, não consegue mais se dominar e
com isso, o consumo acontece de forma exagerada, porque está empolgado ou,
porque os amigos estão estimulando.

Além disso, o cérebro de um adolescente ainda não amadureceu completamente e o
consumo de bebida alcoólica pode impactar no seu rendimento escolar.

Adolescentes podem ficar viciados mais rapidamente do que jovens ou pessoas mais velhas

Isso sem falar na dependência, pois quanto mais cedo ele começar a beber maior
serão as chances de ele desenvolver problemas de saúde relacionados ao vício e o
corpo acabará se acostumando com o uso frequente.

Mudança de comportamento? Redobre a atenção!

Ao perceber alguma mudança de comportamento no filho, os pais devem ficar atentos.
Essa alteração pode ser fácil de identificar quando as amizades antigas já não
frequentam mais a sua casa como antigamente. Outro fator é a queda no rendimento
na escola, uma irritação constante, fuga de conversas e a troca da noite pelo dia.

Ao perceber algumas dessas modificações ou todas elas, é fundamental que os pais
chamem o filho para uma conversa franca, pergunte sobre o que ele está usando e
com que frequência e ao confirmar suas suspeitas, vá em busca de ajuda o quanto
antes.

Ao buscar ajuda de uma clínica, os pais precisam ser parceiros no tratamento e
apoiarem o filho de forma incondicional. Isso significa dar todo o apoio e carinho
necessários, mas é preciso também a rigidez em algumas situações, pois caso
contrário, o tratamento não dará o resultado esperado.

Tem filhos adolescentes? Está sofrendo com esse problema tão sério? Entre em
contato, pois nós sabemos como ajudar sua família a se ver livre dessa situação tão
grave!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

WhatsApp chat